• (51) 3594-2565
  • campal@campal.com.br
  • Atendimento Online
  • Campal Serviços Contábeis no Facebook Campal Serviços Contábeis no Facebook
Nov
30
2017

Bitcoin e a roda da fortuna

Quando você senta em uma mesa de Poker e acha que sabe quem é o otário, tome cuidado, pois o otário pode ser você

Há muito tempo atrás, no que hoje parece uma eternidade, eu estava almoçando em um evento de Finanças cercado por 5 pessoas bastante inteligentes. Começaram a falar das Empresas X e do Eike Batista. Comecei a me encolher na mesa.

Eu era o único cara sem ações de alguma empresa do grupo. Eu já tinha visto esse filme antes: Todo mundo falando bem, elogiando a gestão e os projetos, feliz com os ganhos que tinham conseguido em suas ações. Eu, cada vez mais quieto, torcendo para me esquecerem por um tempo. Quado alguém finalmente lembrou de mim, eu disse algo como: “Sim sim, ele é muito bom, eu que não sei analisar empresas desse perfil”. Ouvi que “é difícil mesmo entender” com olhares de pena pela minha burrice. É difícil parecer bem quando todo mundo tem certeza que você é um idiota.

Coloque vinte pessoas na rua olhando para cima, e a maioria das pessoas que passarem por ali vão olhar para cima. Faça uma prova oral colocando as três ou quatro primeiras pessoas dando respostas claramente erradas, e você vai ver os próximos alunos se alinhando ao coro e dando respostas erradas. Existem coisas mais difíceis do que ir contra a multidão, mas são poucas.

O mercado financeiro é um lugar especialmente propício para esse tipo de coisa pois 1) ALGUÉM sempre ganha dinheiro e 2) esse alguém vai berrar para todo mundo como você é um idiota por não ter ganho dinheiro. Anos ouvindo e lendo sobre investimentos, e ainda não sei se as pessoas têm mais prazer em ganhar dinheiro ou falar para os outros sobre como estão ganhando dinheiro fácil.

Uns 300 anos atrás, na Inglaterra, a Companhia da Navegação do Sul, como era chamada, pegou Isac Newton e o próprio rei com suas grandes promessas (que entre outras coisas, seria a de explorar o promissor mercado da escravidão). A empolgação com investimentos chegou a tal ponto que eram lançadas empresas com a promessa de “algo grande que não pode ser divulgado”. Quando a ressaca veio, o Governo inglês proibiu o lançamento de ações por quase cem anos, e Newton teria dito que é mais fácil calcular o movimento dos planetas do que os do mercado.

Eu poderia passar dias falando de todas as furadas e auto-enganos que fazem as pessoas perder dinheiro: acham que o primeiro a entrar em um setor sempre ganham (e depois ficam chocados ao saber, por exemplo, que a Amazon não foi a primeira livraria online, que a Apple não fez o primeiro smartphone e assim por diante…), confundem a tecnologia com sucesso financeiro (existiam centenas de empresas com os designs mais malucos possíveis quando a tecnologia do automóvel prometia mudar o mundo. Hoje parece óbvio termos poucas empresas na área e um carro possuir quatro pneus, mas no século passado isso não era tão óbvio e um monte de gente perdeu dinheiro criando coisas diferentes). O caminho do sucesso é marcado pelo sangue do passado.

O capitalismo não é bom só pelo lucro que oferece, mas por passar aos indivíduos e empresas grande parte do prejuízo do dolorido caminho até o progresso.

Digo isso porque volta e meia a mídia fica enlouquecida com uma nova ideia, corretoras e bancos se apressam a vender, todo mundo fica louco, algumas pessoas ganham dinheiro, a maioria se dá mal no final. Mas aí provavelmente já estamos no começo de uma nova onda, e a empolgação e sonhos de fortunas começam novamente.

Para voltar à história recente: Alan Greespan, ex-presidente do Banco Central Americano ficou famoso por fazer um discurso dizendo que os mercados estavam em um nível de “exuberância irracional”, prevendo a queda do início dos anos 2000. O que muita gente esquece é que os mesmos mercados continuaram subindo por um bom tempo, com um monte de gente chamando Greenspan de velho gagá. Só mais um otário que ficou para trás enquanto os outros ganhavam dinheiro. Quando o tombo veio, foi dificil tirar sarro.

É aquela coisa: quando você senta em uma mesa de Poker e acha que sabe quem é o otário, tome cuidado, pois o otário pode ser você.

Fonte: Administradores